Entrevista: Jade Baraldo fala sobre inspirações, planos para o futuro, “Brasa” e fãs

2312

Tivemos a oportunidade de conversar com a talentosíssima  Jade Baraldo, e ela nos contou em primeira mão os planos para sua carreira, falou sobre seus fãs, sua paixão por música e a respeito do seu primeiro e mais novo lançamento, o single “Brasa”.

A jovem cantora de 18 anos é catarinense e se mudou pro Rio de Janeiro para aperfeiçoar sua carreira musical, mas logo foi surpreendida e entrou no The Voice Brasil 2016. Durante o programa, Jade encantou o Brasil com sua voz e carisma. Foi semi-finalista, e com isso recebeu convites de várias gravadoras para fechar contrato, mas dispensou-os para que pudesse ter um maior controle de sua carreira.

 

ENTREVISTA: 

Então Jade, de onde surgiu sua paixão pela música?
Meus pais são músicos e eram uma dupla. Hoje minha mãe não canta mais, mas meu pai ainda trabalha na área e é violonista. Cresci escutando muita música brasileira e vendo apresentações dos meus pais, ficava vidrada. Mas acho que a música já vivia em mim até mesmo antes de nascer. Minha mãe diz que sempre que eu chutava dentro da barriga ela cantava ou colocava música pra eu parar (muitas vezes Aquarela do Toquinho haha). Eu era uma criança muito hiperativa e precoce, não havia brinquedo que me segurasse, e quando minha mãe queria que eu parasse ela colocava fita cassete de musicais infantis como o da Barbie, Xuxa, e mais alguns que eram “famosos” na época.

E como você define o seu estilo musical?

POP! Inclusive a faixa “Brasa” acabou de entrar na playlist “POP Brasil” no Spotify. <3

Bom, agora vamos falar do seu mais novo lançamento… Você teve alguma inspiração pra escrever “Brasa” ou foi algo que simplesmente surgiu?

Brasa surgiu um pensamento aleatório sobre o desejo e suas consequências, desdobramentos, etc. Geralmente quando componho eu me transformo em um personagem fantasiando ou lembrando de acontecimentos passados e outros muitas vezes que ainda nem aconteceram.

A música vem fazendo um grande sucesso e sendo muito bem aceita pelo público, afinal, está há 1 semana no topo da playlist “As 50 virais do Brasil”. Esperava que fosse ter toda essa repercussão?

Meia hora antes de lançar a música me bateu um desespero (pra você ter noção!hahaha). Medo das pessoas rejeitarem a música e ter de lidar com comentários ultra preconceituosos pela letra ser ousada etc. Mas logo conversei com os Jadeuses, meus fãs, e depois de receber muito carinho e apoio, me acalmei por eles e fiquei leve de volta.

Você tem planos para o lançamento de um futuro álbum? Quais são seus planos neste momento? 

Uma coisa de cada vez hehe. Acho que hoje o álbum tem uma importância mais simbólica do que prática, é como uma bandeira fincada, e quero chegar lá! Mas a forma como as pessoas se relacionam com a música mudou, hoje os singles e lançamentos isolados, e os EPs, são talvez mais importantes até do que o álbum.

Meu planos são: compor, cantar e produzir várias músicas, e fazer inicialmente apresentações curtas/pocket show em alguns locais do Brasil. Fortalecer meu posicionamento como representante de uma vertente da música pop diferente. Cantar e tocar o coração das pessoas, sendo quem eu sou, inteira, sem grandes concessões. E retribuir o amor que venho recebendo desse meu público lindo o máximo que eu conseguir.

Como se sente com relação aos seus fãs?

Me sinto a pessoa mais sortuda do planeta. Eles são maravilhosos, presente do Universo.
É maravilhoso, emocionante, me dá muita energia pra seguir em frente e muita vontade de produzir mais, escrever mais, e cantar!
É meu primeiro single, minha primeira música, e quando vi, em menos de 48h minha música já tinha entrado na vida de milhares de pessoas. Isso é uma coisa mágica, quando uma música passa a fazer parte da vida de outras pessoas, e tenho muita sorte de ter conseguido isso já com a minha primeira e de forma tão rápida e orgânica. Pra mim ela deixou de ser só minha, por isso também seria sem graça dar uma interpretação oficial a ela e é maravilhoso ver as diferentes interpretações que as pessoas estão fazendo, e ver que para algumas pessoas a letra choca, já em outros atiça, instiga, desperta instintos, enquanto em outras pessoas faz refletir.

About Author

Publicitário, fotógrafo e aspirante à jornalista. Busca estar sempre antenado nas novidades do cenário musical e é apaixonado por Of Monsters and Men.