Melodrama: Lorde fala sobre composição do novo álbum e apresenta músicas inéditas ao vivo – confira!

0

Na meia-noite da última sexta-feira (16/06), foi disponibilizado em diversas plataformas de streaming o aguardado “Melodrama”, segundo álbum de estúdio da neozelandesa Lorde.

Antes do lançamento, a cantora lançou as faixas “Sober”, “Liability”, “Perfect Places” e “Green Light”, esta última acompanhada de um videoclipe, com diversas interpretações sobre o significado do vídeo e da letra da música, tanto por parte dos fãs, quanto pela própria autora.

Ainda na sexta, a cantora apresentou algumas canções do álbum ao vivo, em Nova Iorque. É a primeira vez que ela faz apresentação dessas músicas.

Confira os vídeos, gravados por fãs, disponibilizados originalmente no Stereogum:

 

A neozelandesa também foi capa da revista NME esse mês, e falou um pouco sobre a composição do álbum. Segue a capa:

Resultado de imagem para nme magazine lorde

Em entrevista à NME, Lorde disse que, no começo, pensava em escrever o álbum da perspectiva de alienígenas invadindo a Terra (quê?), conectando o conceito com suas próprias experiências com a fama.

Além disso, ela também declarou que se sentia empoderada escrevendo as músicas de término do álbum. Sobre a faixa “Writer in the Dark”, Lorde disse:

“Eu acho que quando você faz isso, você precisa achar um jeito de viver com si mesmo, porque não é sobre fazer as pessoas não sentirem. Muita gente vai escutar esse álbum e meio que vai ser atingido por ele, pra valer. Mas foi importante para mim dizer [tudo escrito na música]. E eu não acho que essa música esteja se desculpando por dizer essas coisas. É como se dissesse “Eu estava fazendo isso antes de conhecer você e continuarei fazendo depois que você for embora.” Eu me senti muito empoderada.

Você pode conferir a entrevista e o ensaio fotográfico completos aqui, no site da NME.

“Melodrama” já está disponível no Spotify:

Comentários

About Author

Aspirante à escritor, a redator, a roteirista e a qualquer outra profissão envolvendo a cultura pop que você pode imaginar. E neste momento botando a mão na testa pensando que a auto-descrição é uma das piores coisas que existem.

Leave A Reply